Quando a internação para esquizofrenia é realmente necessária?

Muitas vezes a internação para esquizofrenia é a solução mais eficaz para o tratamento do paciente, bem como para a segurança dele e de seus familiares.

Por falta de informação, a esquizofrenia ainda é considerada por muitas pessoas como quadros de loucura e de agressividade.

No entanto, trata-se de uma doença mental crônica que traz vários prejuízos para a vida da pessoa e também interfere, em especial, na relação familiar.

É o transtorno mental mais incapacitante e segundo publicação de maio de 2021, do Ministério da Saúde, no Brasil já são mais de 1,6 milhão de esquizofrênicos, que precisam de atenção, cuidado e tratamento, além de sofrerem com o preconceito.

Os sintomas mais comuns são os delírios, alucinações e alterações do pensamento, o que leva muitas vezes o paciente a necessitar de um internamento.

Vamos explicar para você porque e quando a internação é necessária. Continue lendo.

Toda pessoa com esquizofrenia precisa ser internada?

O transtorno é caracterizado pelos conhecidos surtos psicóticos que podem ser rápidos ou mais longos.

Os principais sintomas da crise são os delírios e as alucinações. Nesse período, é comum o paciente acreditar estar ouvindo vozes, vendo pessoas e objetos que não existem e sentir-se perseguido e/ou ameaçado.

Esses sinais podem ser brandos e não apresentam perigo ou risco. Muitas vezes a medicação e terapias são suficientes para reduzir os sintomas, dar mais qualidade de vida e possibilitar a sua reintegração social.

Mas os surtos podem ser muito severos e, nesses casos, o doente pode se tornar perigoso, colocando a vida dele e das pessoas ao seu redor em perigo, porque de fato ele acredita no que vê, ouve e nas ameaças ao seu redor.

Outro dado importante é que muitos pacientes, mesmo recebendo a medicação adequada, continuam expressando os sintomas da doença, o que pode agravar as crises. 

O portal Agência Senado traz informações de especialistas em audiência na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), informando ser comum, em média, 25% a 40% dos pacientes esquizofrênicos não responderem adequadamente aos medicamentos.

A mesma fonte traz um alerta importante informando que 50% dos pacientes que sofrem desse transtorno tendem a tentar o suicídio no decorrer da sua vida.

Em relação ao suicídio, é preciso informar que em média 10% dos pacientes que sofrem de esquizofrenia morrem atentando contra a própria vida, porque não receberam o cuidado e o tratamento adequados.

Diante desses dados, a internação para esquizofrenia se faz necessária quando o familiar identificar:

  • que o doente não está apresentando resultados desejados com o remédio indicado,
  • está passando por um quadro muito grave de surto,
  • está apresentando um comportamento muito agressivo e violento,
  • há risco de vida para o paciente e para alguém próximo.

Como funciona a internação para esquizofrenia?

Com certeza a internação para esquizofrenia é a alternativa mais saudável e eficaz para o tratamento quando o paciente corre risco de vida ou não está apresentando melhoras com a medicação.

Ao ser internado, ele será acompanhado em tempo integral por médicos, enfermeiros, psicólogos e psiquiatras e estará recebendo o tratamento medicamentoso e terapêutico devidos e adequados para o seu caso.

Em uma clínica especializada, ele terá um olhar integral e intensivo, onde cada profissional deverá trabalhar os aspectos mentais da doença e também ajudar na organização das questões sociais, para promover mais saúde e garantir qualidade de vida, oferecendo terapias ocupacionais coletivas e individuais.

Ou seja, a internação para esquizofrenia vai ajudar a tratar a doença e cuidar do paciente de forma humanizada, acolhedora, fraterna e, ao mesmo tempo, profissional, para atender às suas necessidades e promover a sua melhora.

Quais os tipos de internação existentes?

Como você percebeu, a internação para esquizofrenia deve ocorrer quando a condição do paciente está colocando ele próprio e as pessoas ao seu redor em perigo.

No entanto, nem sempre o paciente está em condições de tomar essa decisão, por isso existem três tipos de internações, que são:

Internação voluntária: o próprio paciente reconhece o seu estado e decide se internar para receber tratamento integral.

Involuntária: o doente não está em condições de decidir ou não reconhece a gravidade do seu caso e os responsáveis por ele intervêm e solicitam o internamento.

Compulsória: nesse caso, a pessoa é contra se internar e a decisão é determinada pelo juiz, como forma de preservação da integridade do paciente e das pessoas ao seu redor.

Agora que você compreendeu quando e porque a internação para esquizofrenia é necessária, acesse nosso site e conheça toda a estrutura do CT Estrela do Amanhecer e caso deseje, agende a sua visita para sentir de perto todo o nosso trabalho.

Você vai gostar de ler:

Buscar por uma clínica de internação para esquizofrênicos, na maioria das vezes, é o melhor caminho a ser tomado para o tratamento …

Você conhece os tipos de esquizofrenia existentes? Essa doença mental crônica não tem cura e precisa ser tratada com acompanhamento médico por …

Uma pessoa com esquizofrenia precisa ser tratada por toda a vida, pois não existe uma cura para a doença. Normalmente, ela se …

Open chat